27.11.09

Não me recordo bem como conheci o Patrício mas, a certa altura da minha vida, passou a fazer parte do circulo de amigos com quem saía à noite.

Era uma rapaz forte, pouco alto, com os olhos azuis que brilhavam de energia e vitalidade. Estava sempre bem disposto. Minto. Às vezes estava mal-disposto, mas tinha piada. Dizia que era por ser gordo.

 

O Patrício era um verdadeiro personagem. Vidas difíceis. Foi ao Brasil e veio. Fez de transportador de droga. Foi preso. Prometeram-lhe uma vida tranquila em troca de silêncio. Cumpriu a pena. Foi exemplar. Tirou um curso superior e seguiu a vida dele.

 

Dava aulas a miúdos do ensino básico. Era atravessado, maluco como os comboios, dizia-se por aqui. Um castiço. As crianças adoravam-no.

 

Foi dar aulas para a Madeira, casou, teve um filho e impôs-se dieta. Há dois anos estive com ele numa semana académica. Completamente bêbedo, a quem não o conhecesse pareceria até um arruaceiro. Mas não era. Tinha bom coração.

 

Mais tarde voltei a encontrá-lo junto ao castelo. Tinha comprado uma harley. Prometeu que um dia me levaria a dar uma volta, só para eu conhecer a sensação de montar um bicho daqueles.

 

Ontem soube que morreu. Terá sido há um mês ou dois. Vi a notícia.

Não sabia que era ele. 

sinto-me:
publicado por Lacra às 11:06

26.11.09

 casting fotos

sexovirtual

 

Empresa: sexovirtual

Mais ofertas de trabalho em sexovirtual
Cidade: porto
Distrito: Porto 
É requisito da empresa que os candidatos residam em Porto
Número de vagas: 10
Discrição da Oferta: casting de fotos pra revista tipo plaboy
Estudos mínimos: Sem estudos
Experiência mínima: Nenhuma
Requisitos mínimos: mulheres ate 35 anos
Requisitos pretendidos: mulheres bem apresentadas
Categoria Salarial: 24.000 - 30.000 € Bruto/Ano
Tipo de contrato: Freelancer
Duração do Contrato: 1
Regime: Indiferente

 

 

Porra, não estou interessada!

tags:
publicado por Lacra às 09:37

25.11.09

Os chefes são fodidos. Uma colega apareceu hoje num serviço com uma nova máquina fotográfica. Canon. Poderosa, daquelas de profissional. Só que ela é jornalista e os jornalistas nem sempre têm formação em fotografia. Eu não tive, apesar de ter tido umas bases de multimédia, som e imagem (vídeo). Uma pessoa desenrasca.

 

Os jornais regionais nunca têm dinheiro para manter projectos decentes, então os jornalistas que querem trabalhar  na área profissional sujeitam-se a fazer de fotógrafos, jornalistas online, a trabalhar até às desoras e permitem todas e quaisquer tropelias, ignorando a lei e o facto de estarem a ser vítimas de desrespeito pelos direitos do trabalhador.

Mas o jornalistas sujeita-se porque quer trabalhar. Quer mostrar aquilo que pode e tem capacidades para fazer e, por norma, se o faz num regional é porque não teve oportunidade para o fazer num meio nacional ou com mais prestigio. Haverá depois os que não têm nem nunca terão competências. Eu não sei em qual das categorias me incluo. Há dias em que tendo a achar que não tive a oportunidade ou a sorte do meu lado. Há outros em que classifico como uma incompetente nata sem estofo para voos mais altos. 

Ainda assim, não estou a querer dizer que os jornais regionais não valem um chavo. Não valem, é verdade, mas têm pessoas qualificadas e competentes que fazem excelentes trabalhos, dentro das condições possíveis e longe de serem as desejadas. Falha depois a paginação, o comercial, os administrativos, os administradores, gestores e directores que, salvo raras excepções, são tudo gente sem formação para trabalhar na área e sem conhecimento de causa.

 

Mas o jornalista sujeita-se e dá o litro. Não se importa. É capaz até de acumular as funções de fotógrafo, dar uma mãozinha à paginação e, em muitos casos e embora eu saiba que poucos o admitam, dão uma mãozinha aos comerciais escrevendo as “publireportagens” ou textos comerciais ou os famosos “suplementos”.

O problema é de toda esta garra e fúria que caracteriza muitos dos jovens jornalistas, e eu estou a inserir-me nesta categoria, é que tão forte bate como desaparece.

 

É como o tesão do mijo, dizia um colega meu mais velho, conselheiro e amigo desde que aqui cheguei.

 

A expressão assim dita, grosseira, poderá chocar, mas é que é mesmo isso.

 

Lá andava então a miúda com a nova máquina, toda entusiasmada e excitada embora algo preocupada porque não sabia muito bem como trabalhar com aquele machibombo de profissionais. Chegou ao jornal, foi descarregar as fotos. Negras.

 

Ando aqui com uma máquina xpto e não tirei uma fotografia de jeito.... vou ter de pesquisar o manual na internet e estudá-lo.

Mas tu tens ao menos formação em fotografia?

Não mas o  chefe já se queixou que as fotos eram uma merda e daí que tenha comprado esta.

 

Então e não podia ter pensado antes em vos dar formação?

 

Ah, sabes como é.

 

Não. Por acaso não sei como é.


 e vai mais um atchimmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmmm

 

 

publicado por Lacra às 12:19

 A minha estupidez não tem limites. Ontem soube que a mãe do meu namorado está infectada com Gripe A. Passamos lá o fim-de-semana em casa com ela. Desde segunda que tenho sentido arrepios, tosse e ando com o tradicional pingo no nariz. É típico, como a época natalícia. Natal sem pingo no nariz não é natal.

 

Confesso que quando soube que ela estava infectada fiquei um pouco preocupada. Hoje como acordei pior comentei no meu local de trabalho que tinha passado o fim-de-semana com uma pessoa que estava infectada com Gripe A.

 

E quê? Se não tens febre nem vómitos ou diarreia é porque não tens sintomas, logo provavelmente não apanhaste.

 

Eu sei que sou vaso ruim, logo dificilmente apanharei tal bicho. Felizmente. E infelizmente também porque sempre podia ficar uns dias a descansar em casa. ainda assim não sei o que me passou pela cabeça para fazer o que fiz.

 

Ahhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhhh expeli todo o ar fora e comentei: agora rezem para que eu não esteja mesmo infectada.

 

De facto, não tem limites a minha estupidez. 

sinto-me:
publicado por Lacra às 12:16

24.11.09

Hoje de manhã fiz uma cena mesmo estúpida. Pensei que ninguém ia descobrir. Daquelas coisas que sabemos que é errado fazer mas que mesmo assim fazemos na esperança que ninguém veja e nos adivinhe tão humanos e tão maus quanto os outros.

 

Como nunca tenho tempo de tomar o pequeno-almoço resolvi trazer uma banana para comer pelo caminho. Ao chegar deitaria a casca de banana ao lixo, num dos muitos contentores que existem na rua onde estaciono o carro. O problema é que o elevador demorou e estive a inspeccionar os contadores do gás por causa de um barulho que  vinha da caixa. Entretanto tinha quase metade da banana comida. Cheguei ao fundo do prédio com a casca na mão.

 

Merda. Agora onde deito isto? Levo e deixo no carro.... Naaaaa... Deixo na caixa da publicidade. Mas é podre. Depois vão lá buscar os papeis e dão com o pastel. É chato. Oh pá, olha, fica já aqui por cima da caixa dos contadores da água. É mau mas ninguém vai reparar. Com excepção das senhoras que limpam. Elas costumam andar de luvas e trazem sempre o saco do lixo. E sempre vêem logo que é só uma casca de banana. Se ficasse na caixa da publicidade era pior. Pensavam que era só papeis  e sai de lá uma casca de banana.

 

Qualquer opção é má e profundamente errada. Como eu diria: é uma pura falta de civismo! Pois é. Lá deixei a casquinha, peguei no carro e siga. Nunca mais me lembrei do assunto até à hora de almoço.

 

  • -       Olha lá, tu por acaso hoje não fizeste nenhuma asneira?
  • -       Uhu. Asneira? Como? Não fiz nada?
  • -       Não??? Não terás feito assim, sei lá, uma garotice? Aquelas coisas parvas?
  • -       Não sei o que queres dizer com isso. mas que se passa? Onde queres chegar?
  • -       Aquela casca de banana lá em baixo, em cima dos contadores....

Risada geral. Desmanchei-me. Fui eu e é uma estupidez de primeira. Daquelas que ninguém com dois dedos de testa viria para aqui contar. De vez em quando faço assim destas merdas. E o pior é que acho piada. Estou aqui a rir-me como uma perdida. É como as crianças, quando fazem algo que sabem que é errado e é isso mesmo que dá satisfação. Ahhhhhh, que gozo, imaginar os outros fulos a gritar: que falta de civismo!

sinto-me:
tags:
publicado por Lacra às 14:29

 As pessoas que trabalham comigo adoram-me. Adoram-me tanto que aproveitam quando eu não estou na minha secretária para me deixarem correio importante. 

 

O sentimento é mútuo. Só gostava que me saísse o euromilhões ou que encontrasse algo melhor. Ia-me embora e não dizia nada a ninguém. Nem me despedia. Desaparecia. Só para ver como eles reagiam. Provavelmente ficavam contentes. Entravam no meu computador a espreitar tudo, reviravam os meus documentos e rezavam para que eu não voltasse.

 

Das duas uma, ou sou muito incompetente e antipática ou estou muito anos luz à frente desta gente... Inclino-me para a última.

publicado por Lacra às 10:55

 Estou a cair de sono. Sinto-me cansada apesar de me ter deitado por volta da meia-noite. Não tenho vontade de trabalhar, não tenho vontade de sair, não tenho vontades.

Acontece-me acordar e pensar que estou noutra cidade. O meu Porto. Não posso dizer que tenha sido dos melhores fins-de-semana. Vi uma pessoa ter um ataque à minha frente e demorei uns largos minutos a reagir. Senti-me muito mal. Pensei que o homem estaria a ficar baralhado das ideias e ignorei, ri-me até. E ele confuso tentava finalizar uma historia que não me interessava particularmente e repetia as palavras. Às tantas reagi, sem saber muito bem o que se passava. Cerca de uma hora passou entre o sucedido, telefonemas para o 112 e vinda de uma ambulância. Tive muito medo e senti-me uma perfeita inútil.

A noite de sábado também não foi como eu esperava. Agradeço a quem deixou sugestões, bons bares, por acaso. Mas está cara a noite. Às tantas ficamos pelo bairro, com miúdos mais novos. A noite toda a fumar. Acho que perdi a alegria. Esperava que o Sapo mandasse aquele pacote, mas afinal parece que era publicidade enganosa.

tags:
publicado por Lacra às 10:28

20.11.09

 Está lá? É do serviço de apoio ao cliente? Olhe, eu queria fazer uma reclamação. Vocês no anúncio oferecem o serviço Sapo ADSL 10 MG + Telefone com chamadas ilimitadas + Internet Móvel para sempre (sim, para sempre, repetem até em eco) + Alegria. Este último vinha num pacote branco com um smile laranja. Ah não sabe o que é um smile? Uma cara com um sorriso, laranja.

Pois, falta esse pacote da alegria. Não vão mandar? Vá mandem lá o pacote de sumo com alegria...

 

 

tags:
publicado por Lacra às 22:07

 Agora, precisamente, começa o meu fim-de-semana. O serviço chegou finalmente ao fim. Estava a ver que não.... Mesmo a tempo de depois falarmos sobre o novo anúncio da Sapo que oferece alegria....

 

 

publicado por Lacra às 22:03

Conversas do meu amigo imaginário
Novembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
14

15
17
21

22
23
28

29
30


arquivos
2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
Obrigado pela visita!
blogs SAPO