02.10.12

Em Setembro escrevi assim:

 

A cena é a seguinte: fiz merda. Isso não é novidade, mas é falta de aprendizagem quando estamos quase a chegar aos 30 anos.
Há um ano e meio decidi deixar tudo para trás, e não era assim tão pouco, e vim com o Amor para Paris. Não adianta aqui justificar o porquê, as promessas que nos fizeram, como preparamos tudo... Foi uma grande estupidez, um erro inqualificável. E a culpa é de quem? Sobretudo minha. Tinha vontade de sair e conhecer a metrópole. Como os parolos que acham que lá fora é tudo melhor. Parolos com formação superior e que estavam a trabalhar na área...
Não sobrava dinheiro, os salários não eram lá grande coisa, mas dava para o gasto e não sobrava, mas havia alegria. Viemos atrás do dinheiro, parecia tanto!!Esclarecidos, esquecemos o célebre ditado - "nem tudo o que reluz é ouro", às vezes é mesmo lata.
E foi assim que nos vimos a trabalhar num célebre palácio...a fazer limpezas. E a varrer a rua, serviço que ninguém queria fazer. As camisas brancas que o contacto nos tinha prometido eram, afinal, umas batas horríveis que fazem qualquer pessoa sentir-se o ser mais pequenino do mundo.
O que me passou pela cabeça? Mas o arrependimento não foi súbito. Não. O avião ainda não tinha descolado do aeroporto e já eu chorava amargamente. Podia ter pedido um mês ou dois, vinha conhecer a Europa, como tanto desejava. Voltava a seguir. Podia ter pedido licença sem vencimento. Podia....Não fiz nada disso, tomei a decisão mais radical e quis provar a todo o mundo que era capaz de me desenrascar sozinha. Não bem sozinha, com algum apoio, ainda que mínimo. Até nisso a minha falta de confiança é alucinante. Para chegar ao mesmo fim, tanto poderia ter vindo para uma capital onde tivesse contactos como para outra qualquer e, sendo assim, preferia ter ido para Londres, ou Amesterdão ou outro lado qualquer onde o inglês fosse mais dominante.
É que nem o francês falava. Chorei a viagem toda para não ter de chorar depois. A aventura foi, durante uns meses, uma aventura porreira, mas com muitos momentos maus. Quando chega o momento de reflectir é que dói mais.
Um dia disse à minha mãe que queria regressar dentro em breve. Eu tinha dito que não queria regressar tão breve porque estava zangada com Portugal. Mas ninguém se esqueceu do que eu disse e parece que ninguém quer que eu volte. O país está muito mal. A crise afecta toda a Europa, mas tu agora já estás aí.
Gostava que compreendessem mas é difícil, muito difícil.
Já tinha idade para ter juízo e orientar a minha vida. Orienta-te, foi também isto que a minha mãe me disse. Em breve faço 30 anos e não sei se conseguirei deixar de ser esta desilusão que sempre fui.


26.11.09

 casting fotos

sexovirtual

 

Empresa: sexovirtual

Mais ofertas de trabalho em sexovirtual
Cidade: porto
Distrito: Porto 
É requisito da empresa que os candidatos residam em Porto
Número de vagas: 10
Discrição da Oferta: casting de fotos pra revista tipo plaboy
Estudos mínimos: Sem estudos
Experiência mínima: Nenhuma
Requisitos mínimos: mulheres ate 35 anos
Requisitos pretendidos: mulheres bem apresentadas
Categoria Salarial: 24.000 - 30.000 € Bruto/Ano
Tipo de contrato: Freelancer
Duração do Contrato: 1
Regime: Indiferente

 

 

Porra, não estou interessada!

tags:
publicado por Lacra às 09:37

20.11.09

 Inscrevi-me num daqueles sites de busca de emprego. Enviei o currículo, preenchi os dados todos, até criei um perfil. Até hoje nunca tinha recebido nenhuma oferta para a minha área. ou melhor, até ontem.

 

Abri o e-mail e lá estava: casting de fotos. O nome da empresa era sexo virtual.

 

Isto só podia ser uma piada de mau-gosto. Os requisitos era ser mulher e ter menos de 35 anos.

 

Salário: 2000 a 2500 euros mensais. É muito mais do que aquilo que eu ganho. É mais do dobro do que eu ganho. Tentador? Nem por isso. foda-se! É que nem me ocorre dizer mais nada...

 

Já pensei criar um o meu próprio emprego. Tenho muitos colegas descontentes, bons profissionais que estão a ser literalmente desperdiçados. Comentei com o meu namorado que se me saísse o euromilhões era o que fazia.

 

Ias torrar dinheiro a criar um jornal numa região onde  a maioria das pessoas é idosa e num país que tem dos mais baixos índices de literacia?

És mesmo burra por isso é que o euromilhões nunca te vai sair. Aliás, por isso é que nem um euro te sai!

 

Deve ser mesmo por isso.

 

tags:
publicado por Lacra às 10:34

21.05.09

 Há um provérbio popular que, nos últimos tempos, não me tem saído da cabeça. “Dá Deus nozes a quem não tem dentes” Volta meia volta, lá me vem o provérbio popular como forma de me fazer calar aquilo que sinto cá dentro: dor, raiva e revolta de não ter uma oportunidade de dar o meu melhor.

Mas tenho aprendido que cada um se deve contentar com a sorte que tem. Se alguns nasceram em berço de ouro e com a vida talhada para o sucesso, outros há que por muito que lutem nunca hão-de lá chegar. Eu acho que estou nesta última categoria e não vale a pena torturar-me e tentar que as coisas sejam diferentes porque nada vai mudar.

Deus também prega a partida de dar dentes a quem nunca terá nozes, dizia o Rentes de Carvalho no seu blog. Essa é que é essa. E como as coisas são mesmo assim e terminam todas da mesma forma, não vale a pena perder muito tempo a pensar nisso. Mas não posso dizer que não dói....

sinto-me: com um cabeção
publicado por Lacra às 10:48

Conversas do meu amigo imaginário
Outubro 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19
20

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


arquivos
2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
Obrigado pela visita!
blogs SAPO