17.12.09

 Os licenciados em Medicina que escolham fazer o internato no interior do país vão ter direito a uma bolsa de 750 euros + salário. O meu salário, como licenciada a trabalhar na área, já o disse aqui uma vez mas volto a repetir, nem a 750 euros chega e já nem falo do valor base porque é idêntico ao salário de uma pessoa não qualificada. Ou seja, bem posso ir lavar pratos porque mato menos a cabeça e provavelmente ganharei o mesmo, senão mais até! Isto já para não falar dos trabalhos ao fim-de-semana que não são pagos, bem como os trabalhos fora do horário ou em feriados....

 

Diz um colega meu: sem graveto não há palhaço e sem palhaço não há circo. Devia ser assim, mas não é porque há muitos palhaços que precisam de pagar contas e de sobreviver.

 

Outra coisa, eu não tenho nada contra os médicos mas irrita-me solenemente que eles se queixem tanto dos salários que auferem já que estamos a falar de uma das profissões mais bem pagas do país. Antes de alguém sequer argumentar:

 

  • os médicos são médicos não porque sejam pessoas mais inteligentes ou capazes que os outros, mas sim porque foi a profissão que escolheram exercer. Eu não sou médica porque não quis ser. Se quisesse também teria capacidades para entrar no curso e conclui-lo, como os outros...
  • os médicos são bem pagos face aos salários que a maioria dos licenciados exerce. Não são eles que estão mal, o resto dos profissionais é que é mesmo mal pago, mas e por fim:
  • custa-me muito ver médicos a reclamar do salário tendo em conta o que disse anteriormente e tendo em conta a prática diária. Todos nós vemos imensos médicos a fazer serviço público e privado, esquecendo, quantas vezes, o juramento que fazem e a que eu chamo juramento dos hipócritas. 

Sem querer meter todos no mesmo saco, porque há médicos e médicos, vou só contar uma história pessoal.

 

Fui ao médico de família pedir um atestado para a prática de natação nas piscinas municipais. Pediu-me que fosse ao consultório dele porque no centro de saúde era impossível. Despachou-me porque eu não o deixava ir assim sem levar recado. Bom, como não tinha outra alternativa, lá fui ao consultório. Paguei cinco euros e ele deu-me um atestado. Nem quinze minutos estive com ele. Perguntou-me se tinha algum problema. Respondi que não sou médica para fazer esse tipo de avaliações mas que não sentia nada de anormal.

Conclusão: o meu médico "vendeu-se" por cinco euros. Isto é medicina? Isto alguma coisa sequer?

 

Ah, evidentemente não passou factura. Com factura eram 10 euros....

publicado por Lacra às 17:25

O Sapo e o Escorpião

 

Um escorpião encontrava-se na beira de um lago. Vendo um sapo por ali, chamou-o e disse-lhe:

 

  • Amigo sapo, podias transportar-me para a outra margem do lago?
  • Não escorpião. Se eu fizer isso tu picas-me e morro, respondeu o precavido sapo.
  • Mas, sapo, se eu te picar morremos os dois afogados!, respondeu o escorpião.

O Sapo, reflectindo no que o escorpião lhe havia dito, respondeu:

  • Ok, escorpião, salta para as minhas costas.

Enquanto atravessavam o lago, o sapo sentiu uma forte picada nas costas. Voltando-se para o escorpião, disse:

 

  • Porque fizeste isso, escorpião? 
  • Tens de me desculpar, sapo, mas está na minha natureza.

Parte II

A Vaca e o Rato

 

O vento soprava forte e a neve caía com intensidade. Um rato gelava e tremia de frio quando encontrou uma vaca.

  • Vaca, ajuda-me a acabar com este frio ou morro!, disse desesperado.
  • Ratinho, não sei o que posso fazer por ti. Não me leves a mal mas usa a minha bosta para te aqueceres porque não vejo outra forma de te ajudar.

O Rato não gostou da ideia, mas não tendo outra solução aceitou meter-se em tal situação.

Estava no meio da bosta quando viu passar uma cobra que lhe perguntou:

 

  • Que te aconteceu amigo Rato?
  • Nada. Foi a forma que encontrei para me aquecer...
  • Queres ajuda para sair daí?
  • Se me ajudares, agradeço, respondeu com admiração.

 

A Cobra ajudou o ratinho a sair da bosta e logo de seguida, sem dizer uma palavra, engoliu o pequeno roedor de uma só vez.

 

Conclusão da história:

Nem sempre que te põe na merda te quer mal.

Nem sempre quem te tira da merda te quer bem.

 

publicado por Lacra às 15:29

 Tudo ainda vai melhorar. Tenho de acreditar que sim.

tags:
publicado por Lacra às 11:46

Conversas do meu amigo imaginário
Dezembro 2009
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
16
18
19

20
24
25

27
28
30


arquivos
2012:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2011:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2010:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


2009:

 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12


pesquisar
 
subscrever feeds
blogs SAPO